Ampliar o escopo de segurança tem se tornado cada vez mais necessário para governos e empresas em meio as crescentes ameaças globais. Essa necessidade se torna ainda mais evidente em grandes eventos, como os Jogos Olímpicos Rio 2016.

Graças à evolução tecnológica, hoje podemos contar com produtos capazes de colher dados e gerar informações que suportam tomadas de decisão em diversos cenários, como Defesa e Segurança. O melhor exemplo deste tipo de produto são os VANTS – popularmente conhecidos como drones.

O FT-100 que voará nos Jogos Olímpicos operado pelas Forças Armadas, foi desenvolvido pela brasileira FT Sistemas, Empresa Estratégica de Defesa, referência em sistemas de comando, controle, inteligência, vigilância e reconhecimento.

Além da vantagem do baixo custo operacional – estimado em cerca de 2% se comparado com o de aeronaves convencionais – o FT-100 tem ampliado a carteira de clientes por sua fácil e ampla aplicação nos segmentos de inteligência e proteção institucional e de fronteiras contra invasões, tráfico de drogas e armas, contrabando e até ocorrência de epidemias.

Com a missão de reduzir riscos e neutralizar ameaças, a tecnologia da FT Sistemas tem capacidade de envio em tempo real de vídeos e metadados de interesse estratégico e operacional para centros de Inteligência, Comando e Controle (IC2), e também para Coordenação, Cooperação e Colaboração (3C).

Além do treinamento operacional do equipamento ministrado pela FT Sistemas, estudos de campo estão sendo realizados diretamente pelo Exército Brasileiro e pela Marinha, que são os responsáveis pela operação do FT-100 durante os eventos.

Mesmo em tempos de crise, a FT Sistemas – fundada em 2005 – tem crescido constantemente nos seus 11 anos desde sua fundação e projeta crescimento de pelo menos 50% nas vendas ainda este ano.

****

Este texto foi publicado primeiramente no LinkedIn em: bit.ly/vantFT-100